Unidade AVC

O acidente vascular cerebral (AVC) é muito prevalente, chegando a ser a 1° causa de morte em alguns países.

A elevada incidência de sequelas após o AVC determina importante impacto social e econômico.

O AVC do tipo isquêmico é o mais prevalente (84% dos casos), sendo os principais fatores de risco a Hipertensão Arterial Sistêmica, Diabetes Mellitus, dislipidemia e a fibrilação atrial entre outros.

O AVC isquêmico agudo é, hoje em dia, tratável, mas requer atenção especializada. A reperfusão da área isquêmica nesta patologia mostrou ser possível com o uso de substâncias trombolíticas, diminuindo a extensão do infarto e revertendo os déficits neurológicos. Essa recanalização deverá ser feita até 4 horas e meia do início dos sintomas. Com isso diminui-se não só as sequelas, mas os gastos com internações, com exames, com afastamentos no trabalho, e melhora-se a qualidade de vida e satisfação dos pacientes e familiares.

A principal finalidade de uma triagem em serviços de emergência é determinar a prioridade do atendimento dos pacientes, isto é, encaminhar para atendimento médico os pacientes mais graves. O enfermeiro é o profissional preparado para fazer esta função.

Atualmente, na Casa de Saúde Santos, já se faz o atendimento emergencial ao AVC, de acordo com um protocolo técnico atualizado. 

Com o intuito de aumentar a sensibilidade da escala para o diagnóstico de eventos isquêmicos em circulação posterior, foi acrescentada uma triagem que inclui sinais e sintomas neurológicos previamente à escala.

 

Os sinais e sintomas mais comuns são:

• Desvio de rima labial;
• Dificuldade para falar ou entender comandos simples;
• Confusão mental;
• Perda visual em ambos ou dois olhos;
• Crise convulsiva;
• Perda de força e/ou sensibilidade em um ou ambos os lados do corpo.